VAMOS REDUZIR A NOSSA PEGADA HUMANA!..........
VAMOS COMER OS PRODUTOS SÓ NA ÉPOCA EM QUE SÃO PRODUZIDOS !..............................................
VAMOS TODOS SEPARAR O LIXO E FAZER A RECICLAGEM!

terça-feira, 15 de Julho de 2014

Toalhas de praia com mochila

Andava sem ideias para fazer os presentes para os netos, duas meninas e um menino, não sabia que fazer para o menino, para as meninas também estava difícil até que ao visitar o blogue da Pinta vi estas mochilas fantásticas. 
 Depois foi só dar volta aos trapos que é coisa que não falta cá em casa...
Entretanto passei na Polux e comprei três toalhas de praia da Miney e do Mikey e pus mãos à obra
 Faço atletismo já desde o ano 2000, cada prova que vamos é uma t-shirt, como somos dois, podem imaginar a quantidade delas que há cá por casa.
De alguns anos a esta parte têm vindo a dar t-shrts técnicas, com tecidos diferentes e cores mais alegres, ora bem, foi só escolher as cores indicadas para cada criança, assim foi:
Rosa choque para a Lia, a sua cor favorita
Amarelo para o João, não deu para ser azul porque a t-shrt azul tinha muitas letras de publicidade
Vermelho para a Ana que é do Benfica
Os cordéis também são resultado das provas de atletismo, são dos sacos que nos dão com as t-shrts, a água, a medalha, enfim os brindas que nos dão no final das corridas...
 Eu sei que não dá para ver muito bem como se faz mas, é simples, é só fazer um saco e coze-lo do avesso num dos cantos da toalha, depois é só virar o saco que a toalha fica dentro do saco...
Também foi mais facial porque usei a bainha de baixo das t-shrts para enfiar os cordéis e copiei o feitio do saco mochila pelos ditos sacos das provas, não os usei directamente porque os tecidos não são bons e têm muita publicidade, assim ficaram mais bonitos...
Só tive que comprar as toalhas, aproveitei uma promoção, o resto foi só trabalho que fiz com prazer e alegria e ainda vou ter o gosto de os ver todos contentes
Espero que eles gostem, eu adorei a ideia e acho-a muito pratica

sábado, 5 de Julho de 2014

O quintal está uma desolação

O quintal está uma desolação mas, apesar disso a natureza faz o seu trabalho...
Mesmo sem lá ir desde Maio, quando nem sequer fiz nada para além de roçar as ervas da parte da frente da casa e do jardim, essa parte tenho que manter sempre limpa para que não ganhe bicharada, mesmo assim tenho muitas coisas bem bonitas...
 Os kiwis já estão formados e a crescer, bem bonitos, as laranjas são tantas, tantas, veremos se se aguentam todas....
 ....Os figos, com esses os os pássaros fazem a festa, nem chegam a amadurecer estão todos penicados, só deixam os pés, mesmo assim ainda colhi meia dúzia deles, devo confessar que não são grande coisa. Acho que esta figueira não vai ter vida longa lá no quintal...
 As ameixas!! Foram as ameixas que fizeram com que fosse lá ontem, sabia que estavam maduras, prontas a colher e que boas que são, doces e carnudas, uma delicia...
... quando fiquei com o quintal esta árvore dava muitos frutos, pequenos e ácidos, que eu detestava, só não a cortei logo nesse ano porque gosto dela, é grande e muito frondosa, dá um especto bonito, é uma árvore daquelas que dá vontade de fazer uma casa em cima, adoro-a... como ia dizendo, no primeiro ano resolvi cortar grande parte dos ramos que estavam muito altos, até porque nem conseguia apanhar a maior parte dos frutos de tão altos que estavam, nessa altura a minha prima até me perguntou:
- Olha lá tu sabes o que estás a fazer? por acaso sabes podar? e eu respondi-lhe logo.
- Não sei nem me interessa, eu só quero que esta árvore fique mais maneirinha e bonita, eu até nem gosto destas ameixas!
A verdade é que logo nesse ano os frutos ficaram diferentes, muito menos quantidade, muito maiores e muito doces, eu acho que ela estava a ficar brava, porque tinha muitos ramos que nem pareciam seus e que eu cortei rentes, agora cada ano que passa, corto uma grande quantidade desses ramos que crescem tipo rebentos bravos... Adoro ter descoberto que sei podar, éh éh éh!

 Quanto ao quintal! pois é nem sei que dizer nem fazer, não tenho possibilidades de lá ir com frequência, as infestantes crescem todos os dias desalmadamente, quando lá vou fico tão cansada mas, não avanço muito, enfim o futuro dirá.... talvez para Agosto o meu genro me ajude e eu lá melhore umas coisas...
Este ano não há alhos, nem cebolas nem couves galegas, nem courgetes mas, também não há a preocupação com a rega automática, nem com as lesmas, nem com nada, deixa a natureza lá sozinha à vontade dela... O meu vizinho é que não gosta, diz que tenho que limpar, que é perigoso, já queimou com químicos uma faixa encostada ao muro dele, é claro que eu queria ter aquilo tudo bonitinho mas...

quinta-feira, 8 de Maio de 2014

Na varanda do 9º andar estou rodeada de verde

No 9º andar em Lisboa estou rodeada de verde, com flores e horta...
A minha violeta que já tinha, pelas minhas contas, uns doze anos, este inverno adoeceu. Felizmente já tinha outra a crescer e que pela primeira vez, está assim cheia de flores
 Na varanda da parte de fora, tenho morangos, salsa, couves, coentros, piripiri, alfaces e muitas mais coisas...
 Nos cantos desta caixa onde estão os morangos tem duas salsas muito bonitas mas, não se vêm na foto, eu queria mostrar os morangos
salsa, coentros, cebola e couve

Piripiri, cravos da Índia, pêra abacate e alfaces 

Salva e mirtilos

 Na escada tenho esta trepadeira que cresce a olhos vistos só nesta época, aguenta todo o verão e no outono perde as folhas e fica o tronco agarrado à parede. gosto muito dela, tenho duas, estão lindas
Aqui está uma grande confusão mas, tem ali dois sobreiro, morangos, dois pessegueiros, cravos da índia, hortelã, uma aboboreira e outras coisas que não posso arrancar sobe pena de estragar os sobreiros e os pessegueiros que quero levar para o quintal lá para a primavera do ano que vem

quarta-feira, 30 de Abril de 2014

Pronto já acabei a 1ª parte do século xx

Acabei de ler este enorme calhamaço, comecei-o no inicio do ano, é grande, é pesado, interessante mas, não vou continuar a colecção, acaba por ter muitas cenas de guerra e eu não gosto de guerras....
 De resto o livro é bastante bom, conta a história de cinco famílias Europeias e dos Estados unidos, dá-nos uma visão romanceada sobre o inicio do século xx, acredito que o 2º seja sobre a segunda guerra e o 3º sobre a crise que temos aí, acho que não vale a pena....
 Conta com detalhes as atrocidades do tempo dos Czares, as más condições de trabalho dos mineiros no País de Gales e de um modo geral da condição feminina cujos direitos não existiam...
Fala do desenvolvimento Europeu, do direito ao voto das mulheres, das grandes mudanças que levaram de um modo geral a melhores condições de vida por toda a Europa e em especial às camadas mais pobres, direitos esses que estamos todos a perder a olhos vistos...
É como olhar para trás e ver, que do tanto que se conquistou, já se perdeu grande parte.... Os poderosos são os mesmos, e cada vez mais poderosos e os pobres continuam pobres e cada dia mais pobres, são os ciclos da História....

terça-feira, 1 de Abril de 2014

Broa de milho e manteiga de azeite

Ontem não fui correr, hoje estou deprimida, não sei que fazer (tanto que tenho que fazer) nem por onde começar... andando por aqui pela net acabei nesta pagina, depois foi só seguir as instruções, já me animei mais um pouco.
A minha mãe sempre fez broa de milho mas, eu não me lembro de ver, não fazia ideia de como se fazia, fiquei espantada por ter que escaldar a farinha, agora? Vou continuar porque ficou boa e é uma grande economia, uma broa pequena custa 1,10 euro, com muito menos fiz duas broas enormes.
 Ficou baixinha, não consegui tender a massa, acabou por ficar toda espalhada no fundo do forno mas...
 O que importa é que está saborosa e dá muito bem para o gasto.
Depois lembrei-me de outra coisa que vi aqui mas fiz à minha maneira.
Num copo misturador coloquei azeite, alho, coentros e uma pitada de flor de sal.
Triturei tudo com a varinha magica, coloquei numa caixa usada de manteiga e guardei no congelador.
Passado 24h tira-se do congelador e guarda-se no frigorífico, a consistência mantem-se, só não pode ficar esquecida na mesa....
Esta manteiga, que não é mais que azeite frio, é muito boa para barrar pão, croissant, para por no arroz branco e é óptima para baixar o colesterol.

Experimentem vão gostar de certeza

domingo, 16 de Março de 2014

sabão natural liquido

Depois de varias experiências a fazer sabão natural consegui vencer mais uma etapa.. 
 Primeiro fiz sabão com óleos usados,  Depois fiz sabão com óleos aromáticos  mas, nem todas as experiências saíram perfeitas.
Uma vez não solidificou completamente, no ano passado fizemos em formas de vidro mas, ficou agarrado às formas e foi impossível desenformar sem o desfazer todo, foi daí que veio a ideia de fazer sabão em pó...
 Na ultima tentativa também nem todas as receitas ficaram boas, uma não solidificou completamente ficando muito mole, aquele que ficou bom também teve que ser aparado para ficar mais direito, algum partiu-se ao cortar, enfim acabou por ficar muito desperdício e eu não gosto de estragar nada...


Depois de desfazer na picadora, 1.2.3 todas as receitas que não ficaram tão boas, aproveitar todas as aparas, misturei com água destilada e bati com a varinha magica até atingir uma consistência de sabão liquido e cá está ele.
Não sei uma receita exacta fiz a olho mas tem que ficar bem espesso se não não fica homogéneo... 

Ficou muito bom, dá para lavar roupa, loiça e é muito bom para lavar as mãos deixa a pele muito macia...
É óptimo para tirar nódoas da roupa, basta molhar e esfregar um pouco com este sabão, vai ver como saem todas num instante.

segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2014

Desde o Natal que lá não ia!!!!!

Andava com saudades, triste e ansiosa por ir ao quintal, não fazia ideia como estariam as coisas por lá, tanto tempo sem lá ir e com tanta chuva...
As ervas daninhas tomaram conta de tudo, a planta dos chuchus estava morta e os frutos espalhados pelo chão, os espargos nem se viam com tanta erva à volta deles, as couves galegas todas floridas, claro que os grelos foram à vida, sem falar das árvores e dos kiwis, com ramos enormes a precisarem de ser cortados, era um mundo de coisas para fazer.... O quintal propriamente dito nem se consegue entrar, água e ervas daninhas!!! Lá para a primavera....
 Felizmente no sábado o dia esteve muito bom, comecei por mondar os espargos que estão em plena produção, ainda perdi alguns no meio de tantas ervas mas, deu para preparar meia dúzia para o jantar, estão tantos a começar a sair da terra que se não for lá em breve vou perder a produção, veremos se consigo voltar dentro de duas semanas no máximo...
 Depois dos espargos podei os kiwis, a ameixoeira, cortei com a maquina todas as ervas do jardim, rapei com a enxada em alguns sítios que a maquina não cortava, ceifei em volta das roseiras e da boganvilia, encaminhei as braças de modo a que o muro no verão fique todo florido...
Como já ligamos o esgoto à rede, ficou a caixa com um grande buraco à volta, enchi com as ervas daninhas que eram imensas e cobri com alguma terra, já não tinha força para muito mais
                         
No fim fui tirar algumas fotos e dei por completo o trabalho, tinha que me arranjar pois vinha a minha prima Antónia jantar, já não nos víamos há alguns anos...
Comecei a sentir-me mal, olhei para o relógio eram quase 19 horas, aí apercebi-me que tinha andado sem comer,  nem parar para beber água,  durante mais de quatro horas. Comi um pouco de pão com compota mas, o mal estar piorou, bebi coca cola, comi mais um pouco de pão mas só piorava, era um mal estar insuportável parecia que nem conseguia respirar. Com muito esforço lá consegui fazer um chá de erva cidreira que bebi sem saber muito bem como pois estava a ferver...Entretanto o tempo passou, estive assim quase uma hora,
quando a minha prima chegou estava eu enrolada sobre mim própria sem saber muito bem o que fazer e o Iosif a preparar o jantar...
Depois deste susto muito estranho, a coisa começou a melhorar pouco a pouco e acabei por ter uma noite muito agradável.
Isto já me tinha acontecido por duas vezes no final da meia maratona, são faltas de energia mas, no sábado não me apercebi do esforço que tinha feito, só depois é que me pus a pensar e realmente foi muito trabalho e pouca atenção ao corpo...