VAMOS REDUZIR A NOSSA PEGADA HUMANA!..........
VAMOS COMER OS PRODUTOS SÓ NA ÉPOCA EM QUE SÃO PRODUZIDOS !..............................................
VAMOS TODOS SEPARAR O LIXO E FAZER A RECICLAGEM!

domingo, 31 de janeiro de 2010

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

No quintal resistem as favas e as ervas daninhas


Só as ervas daninhas resistem a tanta chuva e que lindas as suas flores

As favas estão em franco desenvolvimento e prometem uma boa colheita

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Novas plantas




Não tenho ido ao quintal, mas também com esta chuva ...
Assim sendo!
Aproveitei fiz uma nova sementeira de espargos e plantei umas violetas.
Os cedros, esses já são de Setembro e ainda estão verdinhos, se calhar já estão pegados.
Aqui em casa, assim protegidos, não correm riscos de se estragarem com a chuva

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

INVERNO


O tempo não está famoso.
Pelo menos para quem vive na cidade.
Lembro-me de quando eu era criança nestes dias de chuva, a minha mãe ficava em casa visto que como trabalhava na terra, com um tempo destes não se podia fazer grande coisa.
Acendia-se o lume pela manhã e ficava aceso até irmos para a cama. A roupa secava-se dentro de casa ao lume, faziam-se arranjos de costura, liam-se histórias à lareira e o meu avô contava cada uma, de arrepiar os cabelos...
Depois de uma noite de vendaval íamos apanhar sacos cheios pinhocos, as pinhas com a chuva ficam fechadas, chegávamos a casa cansados e molhados, sabia bem tirar a roupa ali junto ao lume, aquecer-mos o corpo, depois de tudo comer uma boa sopa de feijão e ficar o resto da tarde, sem sair mais de casa a ouvir o radio e a ver a chuva a cair.
Não havia televisão nem jogos de computador mas nós arranjávamos coisas boas para nos entretermos.
O que me deixa mais saudades eram as histórias que o meu avô contava, macabras ou do tempo em que os animais falavam,todos os dias ele tinha uma diferente, por vezes pedíamos uma já conhecida e era aí que nos apercebíamos que ele as inventava na hora.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Prá frente é que é o caminho



Neste vale de lagrimas,
Que é a vida!
Em que todos navegamos,
Uns á vela outros com remos,
Eu remo contra a maré!
E a maré é bem forte!
Se uns têm vela e ventos?
Porque é que eu só tenho remos?...
Mas eu hei-de prosseguir,
Nem que tenha que suar,
Suar e estrebuchar,
Eu hei-de continuar!

22-05-1987

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Espargos? há que ter muuita calma...




ESPARGOS
Para comer espargos é preciso muita paciência!
1º Semear com intervalos de dez cm, em caixas protegidas de intempéries.
2º Tratar, regar e cuidar durante um ano.
3º Transplantar para a terra, bem cavada, sem ervas daninhas, em local definitivo.
4º Esperar mais dois anos, cuidando, mondando, regando e tendo muita paciência.
Depois não sei! Ainda não passou um ano…
Semeei na primavera, só escapou um que já transplantei para a terra. Lá esta, muito bonitinho no meio da salsa e a crescer. Entretanto voltei a semear no Outono aqui em casa. Como cresceram muito bem, mas todos emaranhados eu mudei-os para os vasos da varanda. Lá estão a crescer animadamente. (aqui na foto)
Entretanto semeei mais, mas desta vez só dois, para ver se aguentam um ano sem mexer. Já tive que cortar os ramos, pois já estavam com 30cm, mas já rebentaram como se vê na foto.
Nascem muito fininhos e crescem muito rápido, ganhando muitas raízes, não sei como vai ser para leva-los dos vasos que estão na varanda para a terra.
Lá está! Tenho que ter muita calma e persistência.
Mas hei-de conseguir comer espargos dos meus, sem artifícios nem qualquer espécie de químicos, tudo ao natural.
Desejem-me sorte. Obrigada